Aproveitar o tempo depois de sermos mães

São dois mundos, um antes e um depois. Em nove meses temos um bebé nos braços e, se forem cá das minhas, queremos conjugar o maior projeto da nossa vida com um emprego a tempo inteiro, programas que nos preenchem, amigos com quem queremos estar e tempo de qualidade para os dois. Olhando para trás, sei que hoje em dia consigo tirar muito mais partido de 24 horas do que antes de ser mãe, quando era solteira e tinha tanto tempo livre. Não é que o meu tempo fosse mal gerido: corria quase todos os dias, fazia voluntariado e mantinha a casa cheia de amigos ao fim de semana. Mas não dava verdadeiro valor a esse tempo, tomava-o por garantido e não o aproveitava a 100%. Não deixei de fazer nenhuma destas coisas mas hoje em dia faço-o com uma intenção por trás. A gestão do meu tempo mudou para muito melhor e partilho convosco as 4 principais mudanças que senti:

I. Acordar mais cedo e dormir melhor

Antes do Vasco nascer gostava de dizer que para mim dormir era uma perda de tempo – queria poder fazer tudo nas 48 horas que o dia não tem. O sono é indispensável ao nosso bem-estar físico e emocional e quando deixamos de dormir o aproveitamento do tempo reduz-se para metade. Depois de sermos mães queremos aproveitar melhor o dia. Para isso levantamo-nos mais cedo para estarmos prontas quando os miúdos acordarem. Neste tempo de silêncio em casa podemos acordar com calma, planear o dia e arranjarmo-nos sem os minutos contados. Ter um bebé que também acorda cedo exige-nos que estejamos prontas antes de ele acordar para que não haja atrasos. E ao final do dia deixa de haver energia para noitadas e chegamos à cama com o cansaço bom de quem aproveitou as 24 horas desse dia da melhor forma.

II. Aprender a maximizar o tempo livre

Ter filhos ajuda-nos a dar prioridade à nossa saúde, onde se inclui o desporto, que é uma parte importante para nos mantermos ativas, principalmente depois de sermos mães: praticando desporto podemos fugir das dores de costas de andar com os miúdos ao colo de um lado para o outro, recuperar a forma física anterior à gravidez e ganhar ali um momento que é só nosso. Ficamos também sem desculpas para faltarmos à aula marcada, porque se não aproveitamos aquela hora livre não sabemos quando teremos oportunidade de o voltar a fazer nesse dia.

III. Work smarter, not harder

Adoro os meus vários empregos, incluindo o profissional e o de ser mãe. Depois de ter sido mãe decidi que queria que o trabalho fosse feito no local de trabalho e que o tempo de qualidade em casa fosse dedicado ao meu filho. E esta decisão torna-nos extra produtivas. Está mais do que provado que trabalhar sem uma hora ‘obrigatória’ de saída torna-nos menos eficientes e mais desmotivadas. Os nossos filhos ajudam-nos a ser mais assertivas quanto às nossas expectativas para a equação trabalho-família, o que se torna um win-win para todos: nós sabemos o que queremos dar e os outros sabem com o que podem contar.

IV. Os programas passam a ser únicos

Quando um filho nasce, a ‘logística do sair de casa’ é dos maiores choques: já não saímos só com a chave de casa mas com um acampamento de fraldas, toalhitas, mudas de roupa, chuchas, biberões, peluches e tudo o que o nosso filho se possa lembrar de vir a precisar. Já não podemos simplesmente ligar a uma amiga e descer até ao brunch mais próximo, já não se combinam jantares em cima da hora porque como nós, também os nossos amigos precisam de planear onde vão deixar os filhos. Depois de ter sido mãe passei a ter que fazer duas coisas muito importantes: priorizar e planear. E não há nada melhor: não só passamos a dar real importância às pessoas com quem nos preocupamos mais, porque combinamos com antecedência um encontro, como também cada momento passado parece valer uma eternidade. Aproveitamos tudo com mais gosto porque não podemos fazê-lo todos os dias. E como sabemos que provavelmente passará um mês até podermos estar novamente com aqueles amigos, as nossas conversas saem do superficial e tornam-se mais interessantes – essa falta de tempo torna-nos mais vulneráveis e ficamos mais disponíveis para ouvir o outro. Deixamos de tomar cada um desses momentos como garantido, falamo-nos com uma festa maior e despedimo-nos com mais intensidade.

As exigências e maravilhas da maternidade inspiram-nos a usar melhor o nosso tempo. A saber dizer que sim e a dizer que não, expressando a nossa liberdade ao mais alto nível. Acima de tudo, passamos a querer uma vida mais plena. E eu não trocava isto por nada!


Helena e Matilde:
Vestidos Isabella Babywear
Meias e Botas Safari Pisamonas


thumb_img_9588_1024 thumb_img_9570_1024thumb_img_9558_1024 thumb_img_9603_1024 thumb_img_9573_1024 thumb_img_9584_1024 thumb_img_9577_1024 thumb_img_9560_1024thumb_img_9565_1024 thumb_img_9557_1024

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Instagram @monozigosisters_