Workout

6 Comentários

Fazer exercício é das melhores coisas para a nossa saúde. Ajuda-nos a lidar com a ansiedade, aumenta a nossa confiança e cria um hobbie que nos ajuda a chegar aos 100 da melhor forma. O Verão à porta – que sejamos realistas, não está – está longe de ser o que me motiva a fazer exercício. Faço-o porque me transforma a saúde física, mental e espiritual – três componentes às quais dou a maior prioridade na minha vida.

Nos dias dos nossos avós, lavar a roupa, preparar uma refeição ou ligar a um amigo requeriam sempre bastante exercício comparando com os dias de hoje. Por esta razão, o desporto passou de uma forma natural de vida a uma decisão que devemos fazer em prol da nossa saúde. Se forem como eu, esta é a altura do ano em que o meu corpo grita por hibernação. Mas como acredito em tudo o que disse no início deste post, ponho-me a mexer e não lhe dou ouvidos!

Neste fim-de-semana “comprido” viemos para os ares do campo, onde correr é um luxo porque o ar é 100% puro e as vistas são incríveis. Apesar do ar cansado porque o Vasco tem estado com febre depois das vacinas e noites chatas, estas fotografias provam que os 10km que ando a correr todos os dias me ajudam MESMO a recarregar energias, mais do que a gastá-las. E aqui ficam cinco dicas para quem quer começar/recomeçar a sua atividade 😉

Ainda tenho um ombro “verde” (meu lado direito) pela clavícula partida. É de esperar que o regresso ao exercício ajude o corpo a recuperar (também) a cor!


VESTIDO COMPRIDO COM CINTO EM LÃ MASSIMO DUTTI (SALDOS) ♦ CASACO DE CABEDAL COM PÊLO MASSIMO DUTTI (SALDOS) ♦ TÉNIS CONVERSE ALL STAR ♦ BRINCOS CASA BATALHA (OLD) ♦ COLAR PERFUMARIA CORDEIRO CASCAIS (OLD)


IMG_3309 copy 20160207-1354476071

Começar devagar

Não se começa de um dia para o outro. Para o nosso plano ter sucesso tem que ser realista e duradouro. Não sou daquelas do all or nothing que se dedicam a um plano hiper intenso: o desporto tem um lugar importante no meu dia-a-dia mas nunca o mais importante. E depois: ter um filho pequenino é já por si um bom exercício, embora não seja o suficiente. Tento fazer todo o exercício que posso ao ar livre porque sou alérgica a ginásios quando se vive num país como o nosso. Não lhe dedico mais do que uma hora por dia, mas dedico-me essa hora: 10km de corrida, pilates em casa, abdominais-para-que-vos-quero, qualquer coisa que me ponha a mexer.

Escolher uma atividade que nos preenche

Ajuda pensar quais foram os hobbies que mais gostávamos quando éramos novas e começar por aí: escalada, nadar, dançar, correr. Ou não: nos meus tempos de miúda era atleta de ginástica acrobática e era anti-ballet, que tinha feito em mini, porque não era compatível com a maria-rapaz que na altura me caraterizava. Mas nos primeiros meses de gravidez experimentei voltar ao ballet e adorei – melhorou-me a postura e ajudou-me a manter-me ativa sem impacto no bebé.

Arranjar tempo. Ganhar o hábito

Não há volta a dar: se queremos que o exercício seja parte do nosso dia temos que nos forçar a isso, mesmo (e principalmente) nas alturas em que não nos apetece. A maior parte de nós não terá um coach ou alguém a levantar-nos da cama: tem que ser cada uma e a sua força de vontade. Aquele minuto fatal em que é sim ou sopas: é sim. E ao fim de uma semana é tudo mais fácil: começamos a mudar hábitos e rapidamente vemos as mudanças na nossa saúde. Tornar o desporto parte do nosso horário: levantar pesos enquanto vemos uma série, ir a pé até ao supermercado, levar os miúdos à escola sem usar o carro.

Tornar tudo acessível e motivarmo-nos

É tinto: se não faço exercício de manhã sei que já não vou fazer durante o resto do dia. Para isto e para resistir à tentação de ficar na cama, deixo tudo preparado no dia anterior: a música, a roupa, a água que fica no carro, o pequeno almoço leve, etc. São tudo coisas que na véspera não custam preparar mas que podem ser a boa desculpa que precisamos para não nos mexermos naquele dia – e no outro, e no outro.

Pensar em formas de carregar baterias

Muitas pessoas gostam de fazer exercício com companhia: ter alguém que puxe por elas, alguém com quem falar durante uma corrida e alguém a quem não podem dizer que nesse dia não vão. Não sou anti-social, muito pelo contrário, mas a minha hora de desporto gosto de fazê-la sozinha. Num dia-a-dia em que estou constantemente a interagir com várias pessoas, ter um tempo meu em que posso organizar ideias e refletir sobre decisões é o meu luxo. Se forem como eu, a força de vontade no nosso caso tem que ser ainda maior porque não temos um duplo a puxar por nós. Mas no final, tudo compensa. Porque como comecei por dizer, melhoramos a nossa saúde física, mental e espiritual e cada uma de nós é responsável pelo sucesso de uma vida bem vivida!

20160207-1504436740 IMG_3307 copy 20160207976920470 201602071248373792

6 Comentários em “Workout

  1. Sou como a Ana. Não é que seja anti-social mas aquele tempinho é um “me time” precioso. Para refletir, para sacudir chatices, relaxar, soltar energias ou recupera-las.
    Também sou adepta do pilates e da corrida 😉 mas ainda me falta ganhar a genica para recomeçar a correr. Ou melhor…vencer esta maldita preguiça porque o verão não espera 😉
    Mas acima de tudo que seja pela nossa saúde e bem estar.

    adorei o post!
    Um beijinho
    Joana

  2. Olá, Ana! Que bela inspiração! Um dia destes, partilha connosco como conseguir ter tempo para uma vida tão completa… 😉 Umas pistas dar-me-iam muito jeito num momento em que (também) tenho uma filha pequenina e com o regresso ao trabalho, parece que o dia não estica mais 🙂
    Beijinhos e parabéns por essa determinação!

    1. Boa ideia para um futuro post Elisabete 😉 Que continue tudo a correr bem com a sua filha e vemo-nos por aqui! Um beijinho e obrigada pela mensagem!

Escrever um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Instagram @monozigosisters_